Quem tem gato em casa sabe: os felinos são caçadores natos e curiosos por natureza. Devorar pequenos insetos pela casa é praticamente uma diversão para eles. E esse não é um motivo para preocupação.

Quando o assunto é comida para gatos, existem alguns alimentos que devem sim ser evitados, seja pelo alto nível de açúcar ou gordura, seja por apresentarem certo grau de toxicidade para o organismo do pet.

Pensando nisso, preparamos este post que reúne os principais alimentos considerados permitidos ou proibidos para os gatos, ressaltando a ação de cada um deles no organismo do animal. Assim, você se livra das dúvidas na hora de preparar a refeição do bichano e garante a ele mais qualidade de vida. Vamos lá?

Quais alimentos são permitidos?

Independentemente de a alimentação do seu bichinho ser caseira, natural ou comercial, é muito importante estar ciente dos riscos que algumas comidas podem trazer para o felino.

Por outro lado, também é essencial conhecer os alimentos permitidos para os gatos e como eles poderão diversificar a dieta do animal, contribuindo para a sua saúde e bem-estar. Veja abaixo alguns desses alimentos:

Carnes

A carne é considerada o principal pilar nutricional dos felinos, já que apresenta elevado nível de aminoácidos capazes de suprir as carências nutritivas do bicho, além de carregarem um teor proteico ideal para a dieta do pet.

Contudo, para evitar problemas como sobrepeso, é preciso regular o consumo, equilibrando a ingestão da carne com o uso de rações adequadas para gatos.

Para garantir que a carne oferecida ao animal estará livre de contaminação, siga as seguintes orientações de preparo:

  • carne bovina: deve ser congelada por um período mínimo de 5 dias antes de oferecê-la ao animal;
  • carne suína: recomenda-se cozinhar a carne (sem adição de óleo e sal), pois o cozimento destruirá qualquer tipo de microrganismo;
  • peixes: devem ser congelados pelo período ideal de 48h.

Laticínios

A sabedoria popular relaciona a dieta do gato ao elevado consumo de produtos lácteos, como o leite e até iogurtes. Quem nunca ofereceu um potinho de leite a um felino, não é mesmo? Esses alimentos são sim permitidos para os gatos. Entretanto, devem ser utilizados com moderação.

Antes de oferecer leite para o bichano, saiba que o ideal é que a bebida seja oferecida na versão sem lactose, pois essa substância pode desencadear uma série de problemas digestivos ao animal, desde diarreias até problemas mais graves. Para o caso de gatos filhotes, com até 45 dias de vida, o leite poderá ser consumido normalmente.

Alguns tipos de queijo, como a ricota e a muçarela, também estão na lista de comida para gatos, porém com a mesma ressalva: a moderação. E lembre-se: queijos são produtos muito calóricos e, portanto, devem ser evitados caso o seu pet não esteja no peso ideal.

Legumes, frutas e verduras

Assim como para os humanos, esse trio também é uma das bases da alimentação saudável para os gatos. Legumes como cenoura, beterraba e abóbora são perfeitos para complementar a dieta felina, além de serem opções muito saborosas.

A cenoura e a abóbora são ricas em vitamina A, auxiliando na proteção da visão e no funcionamento de outros órgãos do animal. A beterraba, quando em doses controladas, ajuda a regular a pressão arterial, protegendo contra problemas cardíacos.

Folhas como alface e acelga também são muito nutritivas para o felino e fortalecem o sistema imunológico do pet. Por serem vegetais que possuem muita água, ainda ajudam a manter o gato hidratado.

Os bichanos geralmente utilizam os vegetais como pastas de malte — aquelas que eliminam o excesso de pelos ingeridos — o ideal é oferecer esses alimentos com moderação.

Quanto às frutas, algumas opções também são permitidas, como melancia, melão, maçã, e pêssego. No entanto, elas só devem ser ministradas em doses mínimas, de modo a evitar o consumo excessivo de açúcar.

Quais alimentos são proibidos?

Assim como é importante ter informações sobre os alimentos mais indicados, é preciso ter uma atenção ainda maior em relação àqueles que devem ser evitados na dieta dos felinos. Separamos alguns deles abaixo:

Ração de cachorro

Parece óbvio, mas muita gente ainda cai no erro de oferecer ração canina para os felinos. Não que a ração de cachorro seja tóxica para o organismo do gato, mas, com o tempo, isso se torna algo extremamente prejudicial à saúde do bicho, considerando-se que gatos e cachorros possuem organismos diferentes e necessidades nutritivas específicas.

Pão

Ok. Pode até ser que eles adorem um pedacinho de pão. Porém, diferentemente dos humanos, os gatos não precisam de carboidratos para obter energia. No organismo deles, esse processo acontece de uma forma diferente: a neiglicogênese, que é a formação de aminoácidos a partir da quebra de proteínas.

É por isso que, via de regra, as carnes são consideradas o alimento principal da dieta felina, justamente por seu elevado teor proteico. E aqui abriremos um parêntese para salientar que as carnes ou petiscos de carne oferecidos aos felinos jamais devem ser temperadas com alho ou cebola.

Esses dois alimentos também estão entre as comidas proibidas para os gatos porque apresentam substâncias altamente tóxicas para o organismo do animal, como sulfóxidos e dissulfetos que atacam os glóbulos vermelhos do felino, podendo causar anemia e até morte. O pão, por sua vez, além de não suprir as necessidades nutricionais dos gatos, pode desencadear o sobrepeso.

Chocolate

Chocolates contêm cafeína, substância muito perigosa para os gatos. Então, nada de oferecer café ao bichinho, hein? No caso do chocolate, a toxicidade maior fica por conta de um composto denominado teobromina, que é extremamente tóxico tanto para o organismo de gatos quanto de cachorros.

Assim que adentra o estômago dos bichinhos, o chocolate desencadeia a reação tóxica que se manifesta por meio de vômitos, tremores e muita sede, podendo inclusive ser letal. Portanto, esse alimento deve ser terminantemente excluído da lista de comida para gatos, ok?

Agora que você já sabe os principais alimentos que pode ou não oferecer ao seu pet, ficou muito mais fácil equilibrar a dieta do bichinho com opções de comida para gatos que sejam ao mesmo tempo saborosas e nutritivas.

Vale lembrar que, antes de definir o cardápio do dia a dia do felino, é fundamental escolher um petshop de confiança e contar com a orientação de um médico veterinário. Esse profissional é a pessoa mais capacitada para elaborar a dieta ideal para o seu gatinho.

Gostou do post sobre comida para gatos? Então aproveite para compartilhá-lo em suas redes sociais para que seus seguidores também ofereçam mais saúde e qualidade de vida aos pets!